quarta-feira, 29 de setembro de 2010

do fundo do baú...

Hoje, revirando fotos e papéis antigos em busca de algo, encontrei uma foto de 2000. Eu trabalhava como educadora social em uma escola de Jacareí, como suporte das professoras fazendo contato com as famílias, visitas domiciliares, realizando grupos com as crianças, onde refletíamos sobre temas importantes como respeito, cuidado, diferenças e por aí vai. Nesta foto eu estou contando "Romeu e Julieta" de Ruth Rocha. Nossa, quanto tempo!!!





terça-feira, 28 de setembro de 2010

espelho meu...

Ontem tive o prazer contar histórias para os professores da rede municipal de Jacareí. Contei quatro histórias da  pesquisa que tenho realizado sobre o espelho esse objeto às vezes amigo, às vezes inimigo. Agradeço aos que partilharam esse momento comigo. Algumas fotos generosamente  tiradas pelo Rômulo, a quem também agradeço de coração:






quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Como tudo começou: Sandra Lane

Sempre conto que ouço histórias desde a barriga da minha mãe e que cresci ouvindo meus avós e tios contando uma porção de coisas. Também não é novidade que me emociono ainda hoje mesmo com histórias que já sei de cor. Isto eu e meus irmãos herdamos e quando nos reunimos estamos sempre lembrando alguma história que vivemos. Quem nos conhece sabe como esses momentos são divertidos e reveladores. O que faltava contar pra todo mundo, foi como decidi passar de escutadora de histórias da minha família, à contadora de histórias de todo mundo:

Era uma vez, lá pelos idos de 1999, um ônibus que ia pruma viagem cheia de descobertas com a Orquestra de Viola Caipira. Dentro dele,  eu e meu amigo Carlinhos Ferreira proseando as lindezas que a gente esperava. No entremeio, fui falando de como estava cada vez mais apaixonada por essa coisa de contar histórias e que adoraria que um dia isso se estendesse por outras áreas da minha vida. Carlinhos me convidou para conhecer uma  amiga sua e esta foi a primeira vez que ouvi falar de Sandra Lane. Fiz as malas e passei uma semana pelas bandas de BH.
Meu coração se encantou quando os meninos  e meninas contadores de histórias do Passaredo me acolheram de sorriso largo, contando histórias e me abrindo as cortinas de um mundo novo. Fui conhecendo uma porção de coisas e recebendo todo o carinho e atenção de Sandra, que encheu minha mala de livros, fitas cassetes, apostilas e todo material que ela dispunha para que eu conhecesse esse universo de contadores profissionais. Falei dos meus medos, da minha insegurança e Sandra foi delicadamente me falando sobre a própria experiência, trazendo um sopro de leveza pro meu coração.
Voltei muito mais encantada, mas demorei para descobrir minha identidade como contadora e assumir minhas vontades. Sempre falei da importância de  Sandra pro meu começo, mas só nos reencontramos em 2008, no Simpósio de Contadores de Histórias do Rio e a alegria foi  imensa!
Agora, divido com vocês todo meu respeito por essa pessoa ímpar, cheia de luz e que faz diferença na vida das pessoas que passam por ela. Com vocês, Sandra Lane:




Querem saber mais sobre ela? 

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Doce de Minas - Instituto Cultural Aletria



(foto- pessoal bacana do Aletria
Simpósio Internacional de Contadores de Histórias 
Rio de Janeiro - 2008)



Minas faz parte de mim, minhas raízes estão lá, fincadas profundamente no chão montanhoso de Brazópolis, bem na "beradinha" das Gerais. É só pensar que eh vem o cheiro de mata! A boca se enche com o gosto de pamonha, bolo de fubá, pão de queijo... Os ouvidos escutam o canto de passarim e os olhos se enchem com a vista do castelinho; é, até um castelo tem por lá!
Minhas primeiras histórias, as que estão abraçadas em meu coração, vieram de Minas. Ainda dentro da barriga da minha mãe, eu escutava curiosa pra ver de perto o mundão de coisas que ela me contava.
E contador de histórias? Pro nosso gosto, tem um em cada janela que se vê ao fazer a curva da estrada. 

Assim, com esse carinho imenso que tenho pelos meus laços, apresento à vocês mais um pedaço bom de Minas, que tem nome e gosto  doce, gosto de quero mais. Saboreiem... 


"Aletria é um doce. Um doce feito de macarrão cabelo de anjo, bem fininho. Mas é também uma grande brincadeira com as letras. E foi da mistura das palavras Letras e Alegria que nasceu o Aletria, um Instituto Cultural fundado em junho de 2005 com a proposta de preservar e propagar as histórias, lendas, “causos”, usos e costumes por meio da palavra encantada dos narradores o que fundamenta e fortalece a identidade cultural mais profunda de um povo.
Para alcançar tal objetivo, o Instituto promove cursos, seminários, eventos culturais e literários, espetáculos musicais e de contação de histórias, edição de livros e pesquisas na área da tradição, atuando, portanto, sob três pilares: Escola de Formação e Aperfeiçoamento de Contadores de Histórias, Produtora Cultural e Editora."

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Instituto Conta Brasil





Sabe o que acontece quando pessoas com muitas histórias na cabeça se reúnem? Mais histórias e muitas ideias!!!

Alguns dos maiores contadores de histórias do Brasil se reuniram para criar o Instituto Conta Brasil  "um espaço de debates e ações nas áreas da tradição oral e da literatura". Para nós, contadores e escutadores de histórias, esta é uma ação muito importante que discute,organiza e dá visibilidade a arte a ao ofício da narração. Conta Brasil!!!

faça uma visita: http://www.contabrasil.org

sábado, 4 de setembro de 2010

1º Festival de Literatura Infantil de Monteiro Lobato

Cortejados pelo Rio Buquira e saudados pelas matas, pássaros e taquarais, percorremos a estrada até Monteiro Lobato para uma deliciosa tarde no 1º  Festival de literatura infantil da cidade. Foi como buscar água fresca na fonte!
Puro encantamento ouvir as histórias de João Acaiabe e encontrar  ninguém menos que o Visconde de Sabugosa, quanta honra! Tudo isso compartilhado com minha família que é minha preciosidade. 









quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Dia Valeparaibano de contar histórias





A Sônia Gabriel do Mistérios do Vale http://misteriosdovale.blogspot.com/ teve uma iniciativa linda!
No último 28 de agosto, convidou a todos onde estivessem, pra contar uma história, instituindo assim o primeiro "Dia Valeparaibano de contar histórias".E que venham muitos  28 de agosto!!!

Ah! Esse nosso Vale do Paraíba,
veia que corre entre montanhas,
trilhos, trilhas, matas e rios.
Canto de pássaro, canto de gente,
passo de onça e pulo do gato!

Fuxicos, festejos,assombros.
Cachaça queimando a goela
jongo, catira, viola, seresta.

Cheiro bom de terra molhada,
bolinho caipira, afogado,
e o gosto doce de "taiada".

Figureiras,
tecedeiras,
artesãos,
e o progesso logo ali adiante-
sangrando as estradas
cansando as águas
escondendo as estrelas.

Gente que passou,
gente que ficou,
e muita história pra contar...